Santa Inês volta a ser sinônimo de Violência e Criminalidade

       Enquanto a prefeita Vianey “Viajando” Bringel segue recebendo suas diárias – o que é de direito, mas imoral, pois em meio a justificativa de crise, que não tem dinheiro para desenvolver a cidade, o pouco que tem banca viagens -, a cidade de Santa Inês enfrenta um momento difícil. Portanto, o assunto hoje é grave. Infelizmente a cidade de Santa Inês volta a ser vista como uma cidade extremamente violenta.

       Santa Inês voltou a ser aquela velha cidade, na qual a violência era sua marca nacional. Basta lembrar como a cidade foi conhecida há algumas décadas: “quer um pistoleiro? ligue 851 e acrescente qualquer numero”. Assim era nossa fama. Pois bem, se hoje aparecer um anuncio “ligue 3653 e acrescente qualquer número” você pode localizar tanto o matador quanto a vitima, pois estamos numa situação em que o matador até avisa antes de cometer o crime. 

       A violência urbana e gratuita tem acabado com vidas e destruído famílias em Santa Inês. A gestora municipal, diga-se de passagem é aliada de primeira ordem do governador Flávio Dino, não tem feito nada, absolutamente nada, para conter a escalada da violência em nossa cidade. A população já está se acostumando a viver na expectativa de vários assassinatos por semana; geralmente a matança não tem dia nem hora, e o mais incrível, não tem um seguimento especifico, mata-se e morre-se por nada ou por muito pouco, apenas pela facilidade de praticar o delito e pela ausência do estado.

       E assim segue o caminho da violência e da negligência, a prefeita viajando e o povo matando ou morrendo. Parece até rima pobre em proza e verso, mas é a mais pura verdade. A gestão da esposa do “trator de obras” não sai do negativo, é descaso em todas as áreas. A prefeita desconhece o que é necessidade extrema, aliás, acredito que ela não sabe o que é depender de políticas públicas para nada.

       Quando o assunto é violência, o casal Bringel anda desprovido de proteção??? Claro que não! Logo, eles não sabem como resolver ou sequer buscam solucionar o problema de segurança pública. A atual gestão chegou ao final do primeiro ano e não apresenta nada de positivo, nenhuma semente foi plantada. Na segurança pública seguimos contando os números de mortes, assaltos, agressões, furtos e roubos, pois contar com melhorias, por parte da gestão municipal, já sabemos que não podemos. Ou você acredita que sejam capazes de fazer algo por nossa segurança??? 

       Relembrar não faz mal a ninguém e lembranças boas nos trazem a capacidade de quem trabalha de verdade. Vamos recordar que o ex prefeito Valdevino Cabral Filho tirou a cidade de Santa Inês das paginas policiais do Brasil e implantou um regime de paz e amizade, por 12 anos de gestão Cabral, somados a 4 anos da gestão Alexandre Dames. A cidade reinou sob a paz e harmonia. De lá pra cá a segurança pública de Santa Inês foi corroída por ratos de porões, que trouxeram nossa cidade novamente a esse patamar de violência e insegurança.

Confusão entre público, privado e familiar: o saque continua

Parece brincadeira, mas é a triste realidade do Brasil atual.

   Nos últimos anos notadamente o Brasil avançou no quesito transparência, controle e fiscalização da gestão pública. Avançamos? Sim, mas é fato que ainda temos muito o que fazer. Parece que aprendemos a descobrir os maus feitos que antes ficavam em segredo nos quartos das elites corruptas e familiares.

       Junto com o acesso à informação veio a invasão à privacidade do gestor público e de sua família (a parte entranhada na administração pública). Ora, é mais que justo, pois se trata do dinheiro público que eles administram. A bem da verdade, tanto o gestor público quanto a comunidade devem separar a vida privada da vida pública, bem como separar a transparência pública do direito à intimidade familiar.

       O Maranhão é um caso bem notório. Por décadas presenciamos uma oposição covarde agredir famílias de políticos que estavam no poder, porém, uma vez chegando ao poder, o discurso muda e a janela que agora é de vidro não aceita ser apedrejada.

       Aqui não me refiro a defender ninguém, seja politico ou eleitor. O que podemos observar é que avançamos pouco e recuamos muito (um passo a frente e dez atrás) em nossas conquistas político-sociais. Eles voltaram ao poder ou mesmo nunca abandonaram o poder; conseguimos saber onde e como se desvia recursos públicos, mas pouco podemos fazer para punir e parar com essa roubalheira que assola o “Brasil democrático e republicano”.

       Por vezes paramos para pensar se não estamos sendo levianos quando falamos algo do marido, esposa, filho, sobrinho ou outro parente do gestor que elegemos, mas logo vem uma pergunta que não podemos deixar de fazer: se elegemos fulano, porque ele coloca familiares, como marido e esposa para governar o dinheiro público? Parece que o governante está dizendo à população que vai roubar em família e assim nosso direito coletivo perde espaço para o pessoal, ou seja, para o roubo familiar.

       Conhecemos o caminho da  justiça, a lei proíbe e é clara, mas os gestores mal intencionados sempre encontram uma estratégia para burlar as regras e fugir do nepotismo. A onda criminosa da vez é usar o parente ladrão como assessor, orientador ou auxiliar não remunerado.

       Pela lei fica impossível o agente público invocar sua privacidade, pois seus atos devem ser regidos pelos princípios da legalidade, moralidade, impessoalidade, eficiência e publicidade ( art 37 da CF ). Há justa causa quando os atos tem relação com a administração pública. Nos faça lembrar ainda que uma vez o agente público colocando familiares para arquitetarem planos de desvio de recursos públicos, é louvável que a comunidade tenha acesso irrestrito às informações que obviamente acabaram por entrar no seio da família, uma vez que esta age como uma quadrilha e não mais como um lar familiar.

 

Feliz dia aos professores!

       Hoje é o Dia dos Professores! Para muitos é o dia dos heróis ou até mesmo dos super heróis. A busca do elo perdido entre a teoria e a prática  nunca chega ao fim, pois  a cada 15 de outubro se repetem as mesmas exaltações em ralação à profissão de professor. Passada esta data, o professor volta a ser perseguido, maltratado, mal pago, trabalhar em condições desumanas e desvalorizado.

       Mas neste 15 de outubro prefiro me referir aos professores como o que temos de melhor na sociedade e no mercado de trabalho. Na sociedade por acumular uma função humana e solidária, desprovida de troca de favores ou de benefícios; o professor mantém uma condição necessária na ligação entre família e o ser social, pois é ele que educa, reeduca ou lapida o ser gente para o convívio social. No mercado de trabalho porque o professor, sendo bem remunerado ou não, nunca forja uma produção a mais, não “opera milagre” para aumentar seu salário ao final do mês; o professor é honesto por natureza, na sua função de professor, mesmo sabendo que recebe salário indigno com sua necessidade, mantem-se firme na proliferação de valores humanitários, sociais, religiosos, morais, de caráter e de família. Talvez seja daqui que vem essa fama de serem Super no que se propuseram a fazer.

       PARABÉNS AOS PROFESSORES! Não posso deixar de fazer uma dedicação especial aos seguintes professores: ESCOLA  NEUSA BASTOS, UEMA, GEOGRAFIA, UFMA, ODONTOLOGIA,  UNR, UESPI, FESPSP, FAESF, FLORENCE, CEUMA, DIREITO, ESCOLA PADRE CHAGAS, ESCOLA FERNANDO PERDIGÃO, ESCOLA DEYSE GALVÃO, ESCOLA PRESIDENTE JOSÉ SARNEY, CEGEL, ESCOLA COMERCIAL, ANGLOVEST, ALEXANDRE COSTA E, EM ESPECIAL, A ESCOLA INÊS GALVAO, QUE FEZ MINHA BASE ACADÊMICA DE FORMAÇÃO PESSOAL, HUMANA E CIENTIFICA.

Santa Inês: agressão ao meio ambiente e ataque à educação

Secretário Sirino Rodrigues (fonte: UOL)

A cada dia ficam mais evidentes as estratégias de propaganda que envolveram a campanha eleitoral de Vianey Bringel para chegar à Prefeitura de Santa Inês. É com muita tristeza que vejo o ex-candidato a prefeito Sirino Rodrigues ocupar o cargo de secretário de Meio Ambiente, pois não fica evidente qual o papel dele à frente da pasta. Não é possível que ele acredite que fazer doação de mudas de plantas na semana do meio ambiente seja fazer gestão ambiental.

Todos lembram que em meio ao período das convenções eleitorais ele se pronunciou publicamente dizendo que abriria mão de sua candidatura a prefeito para apoiar, de forma “voluntária”,  a candidatura de Vianey Bringel. Hoje está claro que o apoio não foi tão desinteressado como ele disse, pois estranhamente ele está secretário de Meio Ambiente. Não podemos afirmar quais as verdadeiras intenções de Sirino Rodrigues, mas uma certeza já temos: se ele não tem capacidade para comandar apenas uma única secretaria, imagine se ele tivesse sido eleito prefeito?

Como secretário de Meio Ambiente, Sirino Rodrigues poderia ter um olhar mais atento para a imensa quantidade de pequenos lixões que se acumulam em nossa cidade, bem como esgotos a céu aberto, poluição (sonora, visual e atmosférica), incontáveis queimadas em áreas urbanas e rurais, agressões a mananciais, riachos e igarapés, mata ciliar, exploração e degradação do homem pelo homem e do homem com a natureza, entre outros que fazem parte do pacote de gestão ambiental.

Se não bastasse a falta de capacidade de gestão ambiental, a Secretaria de Meio Ambiente faz aliança direta com o gabinete da prefeita Vianey Bringel na agressão ambiental e ao ataque à educação no nosso município. Na quarta-feira, às 10h30, o site www.cleoneraraujo.com.br flagrou uma caçamba branca, carregada de lixo, seguir para o antigo lixão atrás do IFMA (Instituto Federal do Maranhão), conforme fotos. Na quinta-feira, às 7h30, uma caçamba (também de cor branca) já estava deixando o local após descarregar mais lixo.

Caçamba chega, dia 04/10/17, às 10h30, carregada de LIXO. Foto: Cleoner Araújo.

foto: Cleoner Araújo

Caçamba saindo do lixão às 7h30 do dia 05/10/17. Foto: Cleoner Araújo

IFMA: principal vítima do lixão urbano de Santa Inês.
Foto: Cleoner Araujo

É comum no IFMA deixar de ter aula por causa da fumaça resultada das queimadas no lixão, assim como o mau cheiro também é responsável por prejuízos nas aulas do Instituto. É um absurdo, em pleno século XXI, uma cidade do porte de Santa Inês permitir um lixão em área urbana, agredindo solo, vegetação, lençol freático, igarapés, população residente e um severo ataque à educação.

…. Quem tem medo se cala, Quem cala consente…. #CleonerAraujo

População de Cantanhede continua apreensiva

Depois de ser derrotado na forma da lei, ou seja, por decisão judicial, o prefeito de Cantanhede foi obrigado a publicar um novo decreto, tornando sem efeito sua decisão anterior, que havia cancelado a 2ª etapa de concurso público e exonerado 105 professores. Com seus empregos garantidos, os professores retornaram  às salas de aula.

Apesar da boa notícia, os trabalhadores cantanhedenses ainda não podem respirar aliviados, pois tudo indica que mais desmandos estão por vir.  No mesmo dia da publicação do novo decreto que readmitiu os professores (29 de setembro), a Câmara de Vereadores se preparava para votar um projeto de lei, de autoria do Poder Executivo, que aumenta impostos no município (segundo informações do blog pirapemas.com).

E como se não bastasse conviver com salários atrasados, hoje os servidores municipais ainda têm que conviver com o fantasma do desemprego. O presidente da Diversa Cooperativa, que é contratada pela Prefeitura, convocou os associados para uma assembleia geral, no dia 29 de setembro. O rumor era de que seria anunciada a redução no quadro de funcionários. Fé e força cantanhedenses!

 

 

Galeria

Educação no Maranhão: tratada com ódio e desprezo por prefeitos(as)

“Maranhão, meu tesouro, meu torrão”. “Maranhão, terra de Gonçalves Dias, Artur Azevedo, João do Vale, Ferreira Gullar e José Sarney”. Maranhão, que por muitos anos foi reconhecido por valorizar a língua portuguesa. Maranhão, terra também do contraditório…

O Maranhão sempre ocupou as últimas colocações no ranking da educação brasileira. Nas últimas sete décadas, o que mais se presenciou no Estado foi o uso oportunista da alta taxa de analfabetismo em discursos de campanhas eleitorais. Eleição após eleição, o sistema educacional maranhense entra no ringue da disputa eleitoral e sempre é a educação que sai nocauteada ao final de cada pleito eleitoral.

Quer ganhar eleição no Maranhão? A fórmula é falar mal da família de “fulano”, da oligarquia, do governo anterior, sair “teoricamente” em defesa dos pobres e analfabetos ou analfabetos e pobres; neste caso vamos recorrer à matemática: “a ordem dos fatores não altera o resultado”. O que falta enxergar é que aqui, de Norte a Sul, de Leste a Oeste, ao longo das últimas décadas, os gestores municipais tratam a educação pública com grande descaso.

Permeando poucos quilômetros do nosso território, temos como exemplos a capital São Luís e os municípios de Santa Inês, Buriticupu e Cantanhede. Mas em muitas outras cidades do Estado aconteceram ou estão acontecendo desajustes entre a gestão municipal e, do outro lado, a educação, os educadores e a sociedade, que sofrem de forma direta os ataques dos(as) prefeitos(as). Volta e meia, esses desencontros acabam em pelejas judiciais.

Professores de Cantanhede comemoram decisão judicial

Assim como em Santa Inês, na cidade de Cantanhede/MA os educadores enfrentaram os donos do poder e não abriram mão dos seus direitos. Os professores foram à luta, precisaram sim de apoio político e conquistaram aliados (vereadores Jairon Dantas, Ribamar, Edimilson e Emerson Costa). O resultado foi positivo.  Na última sexta-feira (22), a Justiça suspendeu uma decisão que exonerou 105 professores no município. O recurso da vitória foi uma Ação Rescisória, com pedido de urgência, proposta pelo advogado Gil Cutrim.  A decisão foi comemorada nas ruas da cidade e os professores receberam Gil Cutrim com festa.

No próximo ano teremos um novo pleito eleitoral. Deputados estaduais e federais, senadores, representados por prefeitos(as), pedirão votos, afirmando suas contribuições com o desenvolvimento do Estado. Cabem aos professores, pais, estudantes e à sociedade em geral avaliarem quais políticos são inimigos ou não da educação maranhense.

 

Jovem maranhense desponta como revelação nacional

Glenda Porto conquistou títulos nacionais

Dona de multitalentos, Glenda Porto é uma jovem maranhense, atualmente com 14 anos, que concilia os estudos a uma rotina intensa, da qual vem colhendo bons frutos e já desponta como revelação nacional. Ela já conquistou os títulos de Miss Maranhão Simpatia 2015, Miss Brasil Elegância 2016, Miss Brasil Fashionista Beleza Internacional 2017, além de ser modelo profissional.

Destaco Glenda Porto não apenas pelo títulos conquistados,  mas especialmente pelo que poucas pessoas sabem: a determinação desta jovem em representar o Maranhão, conciliando sua beleza à fé, educação, elegância, inteligência, disciplina, cultura e solidariedade. Glenda Porto tem um ritmo frenético de atividades com as quais se identifica, incluindo curso de interpretação para TV e cinema, teatro, inglês, libras e música. Apaixonada pela cultura maranhense, ela também é uma das dançarinas do Boi de Axixá.

Criatividade e consciência também integram a rotina de Glenda Porto. Usando roupas recicladas, com o uso de saco de fibra na composição, ela participou da exposição de materiais reciclados do projeto Ecodesing, evento realizado no Centro de Convenções Odilo Costa Filho.

Desfile com roupas de matérias recicláveis

Além dos trabalhos publicitários, Glenda Porto ainda dedica tempo a atividades sociais, com participação em desfiles solidários e campanhas beneficentes, além de ministrar palestras para compartilhar suas experiências e transmitir instruções de passarela.

Nascida em São Luís, e “cantanhedense de coração”, Glenda Porto é filha da professora Maria das Dores e do Subtenente da PM Porto. Para conciliar os estudos com tantas atividades, ela conta com o total apoio  da família, amigos e parceiros.

Cheia de sonhos e determinação, Glenda Porto vai à luta e merece o apoio de todos os maranhenses, pois ela tem orgulho da sua origem, especialmente a cidade de Cantanhede-MA. Boa sorte, Glenda!

 

Massacre da Educação continua em Santa Inês

Vianey Bringel marcou reunião com professores, mas não os recebeu

Fazendo uma análise imparcial entre os primeiros nove meses da gestão do ex-prefeito Ribamar Alves e a atual gestão Vianey Bringel, infelizmente podemos dizer que trocamos seis por meia dúzia. Quando Ribamar assumiu a Prefeitura, a cidade sabia que a vitória significava um basta à gestão incompetente, truculenta e arrogante de Robert Bringel, que saiu pelas portas do fundo, com alto índice de rejeição e um legado de ruas esburacadas, obras inacabadas e outras entregues pelo meio do caminho, como se estivessem prontas (basta citar o caso da Rodoviária de Santa Inês e da rede de esgoto).

Tal qual foi com Ribamar Alves, Vianey Bringel chegou ao nono mês de gestão demonstrando fraco poder de articulação política e grande incapacidade administrativa, mesmo tendo como prefeito de fato o marido Robert Bringel. O casal administra mal a cidade, tenta convencer a população com pinturas de asfalto, que na verdade é fruto do governo estadual.

A principal marca da gestão Vianey Bringel até o momento é a perseguição contra os professores. Vale ressaltar que atacar a categoria revela mais uma maldade contra a educação, em especial contra a parcela da sociedade que depende da educação pública municipal. É, pelo visto a prefeita Vianey Bringel segue o modelo do presidente Michael Temer (PMDB) e do seu colega de partido Aécio Neves (PSDB), pois acredita que o sol nasce para poucos. A prefeita trata a prefeitura municipal como uma extensão umbilical de sua casa, com espaço apenas para seus poucos aliados.

O que fica pouco compreendido é o fato da prefeita sequer receber os professores grevistas para um diálogo, bem como explicar o porquê de parcelar o pagamento dos salários da categoria, já que a Prefeitura deve funcionar como um braço acessório entre a origem do dinheiro e o pagamento dos professores, pois trata-se de repasse de verba com destinação específica para a educação. “Não queremos nada demais, estamos apenas buscando o que é nosso de direito, trabalhamos, e contamos com nossos salários para o sustento de nossas famílias”, diz um professor grevista.

“Queremos que ela nos receba sem a presença do marido, pois ela é a prefeita. O Ministério público e o TRE têm que olhar para esta situação, ela é a prefeita e ele é o dono da Prefeitura”, diz outro educador.

Vianey Bringel, prefeita inimiga da Educação

Prefeita Vianey Bringel

       Apesar de ter curso superior, as atitudes da prefeita Vianey Bringel com relação a Educação sempre foram insultuosas. Desde a época de primeira-dama do município, passando pelo mandato de deputada estadual, ela se posiciona contra o avanço da Educação, tentando limitar os filhos da população mais carente a ter acesso a ensino de qualidade.

       Para chegar a esta conclusão no contexto atual, basta acompanhar como são tratados os professores e a Educação no município: se nega a reformar escolas em situação precária; pagamento fracionado dos salários dos professores e tentativa de boicote ao direito de greve da categoria. Mas, estranhamente, não falta dinheiro para certas despesas no mínimo incompreensíveis, conforme a tabela abaixo:

       A tabela acima revela que a Prefeitura de Santa Inês gastou rios de dinheiro com aluguel de máquinas, festejos, combustíveis e energia elétrica, serviços que são de difícil controle pelos órgãos competentes de fiscalização. No entanto, o governo municipal  não tem recursos para reformar uma escola.  Na tabela, consta a merenda escolar entre as maiores despesas do município. Nada mais justo! Porém, não dá para ignorar que este gasto também é de difícil controle, sendo uma manjada estratégia para gestores mal intencionados.

       É uma vergonha o município de Santa Inês recorrer ao Tribunal de Justiça para negar a reforma da Escola João Paulo II, que atende a comunidade do bairro do Aeroporto.  A Prefeita tentou mais uma vez boicotar a Educação, mas Justiça não falhou e jogou um balde de água fria nas intenções da gestora, dando provimento a ação movida pelo Ministério Público do Maranhão (MPMA). A decisão em favor da Educação partiu da 5ª Câmera Cível do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), confirmando a decisão da 3ª Vara Cível da Comarca de Santa Inês.

       Para uma gestão que acredita no poder econômico como forma de comprar a tudo e a todos, a decisão da Justiça foi um “tapa na cara”.

       Depois desse recurso vergonhoso, nada mais justo do que atribuir a prefeita Vianey Bringel o selo de prefeita inimiga da Educação.

       Ficam no ar dois temas para reflexão:

1- Por que a prefeita trata a educação assim?

2 – Parece mais fácil para a prefeita gastar o dinheiro público em despesas de difícil controle a reformar escolas, uma vez que a despesa será fiscalizada pelo Ministério Público do Maranhão?

Editorial: Santa Inês, diálogo e informação

Professor Paulo Rodrigues

     O site/blog do Cleoner Araujo (www.cleoneraraujo.com.br) estreia cheio de novidades. É um informativo cotidiano capaz de analisar os fatos com extrema imparcialidade, mostrando para a população os acontecimentos políticos, econômicos e culturais do Maranhão Central. Estará divulgando sempre as mais variadas notícias em tempo real.

     Santa Inês é extremamente nova. Vai fazer 51 anos de emancipação política no dia 14 de março de 2018, no entanto, estagnou o crescimento econômico, político e cultural. Envelhecemos antes de chegar à idade adulta.

     Precisamos pensar uma cidade mais atuante no cenário de oportunidades nacionais. Não podemos nos fechar para o debate da coisa pública, para os questionamentos sérios da população, para as necessidades reais de transformação da situação de miséria em que se encontra quarenta por cento da nossa população.

     Neste cenário novo, eis que surge mais um homem de coragem para levar informação para a comunidade de nossa urbe. Quem é? Cleoner Araujo é geógrafo, odontólogo, Doutor em Educação e acadêmico do curso de Direito. Sabe buscar a fonte verdadeira para clarear a banda escura e não tem medo dos fascistas que não querem o diálogo.

      “Iremos tratar a verdade como instrumento de transformação político-social, contribuindo com os órgãos de controle e justiça do Brasil, sem medo e sem mentiras, tratando os fatos com imparcialidade e correção”. Declarou o professor Doutor em Educação.

     Enfim, esperamos que a leitura do blog seja agradável e atraente para contribuir na formação de cidadãos conscientes e participativos. Boa Leitura!