Armas para os idiotas

          Um “pequeno grande” número de brasileiros, dignos de vez e voz, estão fazendo um enorme barulho nas redes sociais, inconformados com o estatuto do desarmamento. Uma parte quer a liberação descontrolada do comércio e uso de arma fogo no país. Por outro lado, tem um grupo, bem limitado, que busca uma liberação e livre acesso, porém de forma controlada, com registro, porte, direito de andar armado, ter arma em casa… e por aí seguem os argumentos.

         O grupo que apoia a liberação descontrolada do uso e posse de armas de fogo não sabe ou não quer saber que está engrossando o coro a favor de mais uma lei que, caso a venha a ser criada, vai beneficiar apenas uma pequena minoria da população brasileira.  O uso indiscriminado de arma de fogo é algo fora de cogitação. Já a criação de uma lei  que venha a facilitar o uso controlado da venda, porte e posse de arma de fogo é uma realidade possível, uma vez que a escalada da violência no país não cessa.

         Exemplo disso temos a bandidagem se espalhando pelo Brasil. Enquanto no Rio de Janeiro o crime da vez é matar policiais, que, mesmo servindo ao Estado e a sociedade, não recebem proteção e nem tampouco reconhecimento da população, trabalhando em situações precárias, com veículos que sequer possuem blindagem, além das armas serem ultrapassadas frente ao “poderio de fogo”  do crime organizado.

             A pergunta é: armas para quem? Por definição direta, podemos concluir o quão idiota é pensar em liberação de armas sem nenhum controle. Por outro lado, liberando de forma controlada a venda e uso de arma de fogo, estaremos armando uma pequena minoria que já possui proteção particular e armada, uma vez que usar uma arma de fogo que seja capaz de autodefesa custa mais de 15 mil reais, entre a compra de uma boa arma, curso preparatório e demais burocracia a ser cumprida. Quanto aos brasileiros trabalhadores, estes poderão andar armados dentro desse contexto? Quantos aos criminosos, estes continuarão a ter acesso a arma de fogo? 

             Caso isso venha a ocorrer, teremos, por analogia,  um truste no uso de arma de fogo; a polícia para nos defender com armas obsoletas, uma pequena classe social que, além da proteção armada que dispõe, poderá também adquirir armas de grosso calibre e, por fim, a bandidagem, que encontrará na lei uma oportunidade de legalizar o verdadeiro arsenal que já possui em mãos. 

              Um país que pouco acredita no poder transformador da Educação não pode se julgar preparado para armar sua população. Poderíamos sim, repensar nossos valores e defender uma policia mais estruturada, começando com o uso de armamentos pesados no combate ao crime. Caso contrário, o país segue no movimento “ARMAS PARA OS IDIOTAS”. O maior poder transformador de uma sociedade, principalmente no quesito segurança, concentra-se na EDUCAÇÃO.

Obrigado, São Luís!

           

            Há exatos 20 anos eu desembarcava na cidade de São Luis, vindo do interior do estado, Santa Inês. Saía de uma cidade que leva o nome de Santa e chegava a capital do Estado, que também tem o nome de um Santo. Católico e estudante, essa seria minha maior definição para aquele momento. Trazia no presente uma mala, recheada de sonhos e delírios de um jovem questionador, mas que não culpava a humanidade pelos insucessos da vida, ou falta de sorte. Para o futuro? trazia comigo a Fé, Esperança e Dignidade de meus costumes interioranos de um bom matuto.

                 A trilha foi grande e estreita até chegar numa estrada com sol, sombra e água fresca. Uma caminhada árdua, mas, graças a minha terra de Santa Inês, já cheguei aqui com uma porta aberta: a UEMA, curso de GEOGRAFIA, minha primeira graduação. Impossível citar aqui o nome de todos que me ajudaram na caminhada, mas tenho a EDUCAÇÃO como base de tudo que conquistei; tudo não no sentido material da coisa, mas no sentido da grandeza que aprendi pelos ensinamentos de meus/minhas PROFESSORES (AS). Foram eles que constituíram meu alicerce sólido e rígido, seja na formação do conhecimento ou mesmo em palavras amigas que me acolheram nos momentos difíceis, quase intransponíveis.

                    Hoje não quero relembrar as dores físicas e na alma que aqui senti. Quero agradecer a São Luís por tudo que me proporcionou nessas duas décadas. Quero dizer a todos – professores (as), colegas de curso, da UEMA/UFMA (Odontologia)/IFMA/FLORENCE (Direito), colegas de trabalho, SEDUC e IBGE – o quanto sou grato por tudo que fizeram por mim. Nesses vinte anos, passei pela juventude e me tornei um adulto, senhor de mim mesmo, mantive minha dignidade e meu caráter, não me curvei diante dos poderosos, não perdi a ternura, mantive minha honestidade e sempre lutei com minha arma (Leitura). Com meus defeitos e virtudes, agradeço a todos(as) que caminharam ao meu lado e jamais me deixaram desistir. OBRIGADO, SÃO LUIS! 

Bloco OS BESOUROS ressurge e agita o JARDIM BRASÍLIA

             

              Deixando de lado todas as dificuldades impostas por políticos corruptos, a velha guarda do Bairro Jardim Brasilia, em Santa Inês-MA, realizará, no dia 3 de fevereiro, a  1ª prévia de carnaval do bloco OS BESOUROS. Isso mesmo, após mais de 2 décadas adormecido, OS BESOUROS acordaram e prometem não transmitir nenhum vírus, pelo contrário, OS BESOUROS vêm com uma proposta de Invadir BRASÍLIA e pulverizar toda a corja de CORRUPTOS que surge lá e se prolifera por todo o país.

              Os amigos da velha guarda  convidam toda a população do Jardim Brasilia a Participar desse momento, que vai resgatar a história do nosso bairro e começar uma nova releitura da atual e futuras gerações. O embalo será por conta do “paredão de som” e 10 caixas de cervejas liberadas. Compre já seu Abadá pelo preço de R$ 25 reais. Para maiores informações entre  em contato Bilu ( whatsapp 982459920) ou Maxwell. 

 

Fora Vianey Bringel, chega de humilhar nossa gente.

       É com imensa vergonha e decepção que venho a público defender a saída da atual prefeita de Santa Inês do cargo. A senhora prefeita e seu esposo Roberth Bringel nos enganaram. Falo isso com sentimento próprio de quem foi traído e enganado por esse casal. Me recordo do período pré-eleitoral e eleitoral do ano passado, período no qual o casal prometia cuidar bem das pessoas e da cidade. Afirmavam com propriedade que eram pessoas de palavra, que o trabalho e a honestidade seriam suas marcas nessa nova gestão, nessa nova oportunidade que a cidade estava lhes dando.

        Porém, depois de eleitos, o que estamos presenciando é o maior abuso de poder que Santa Inês já suportou. Eles não respeitam ninguém; acham que o dinheiro pode comprar todos. Mas o casal está enganado, pois não pode comprar todos, pois ainda existem pessoas de bem.

          Estamos encerrando o primeiro ano de gestão e a atual administração de Santa Inês está paralisada, só tem dinheiro para o que a eles interessa, principalmente quando é para eles próprios se beneficiarem do dinheiro público. Uma prova? Basta conferir os valores de diárias recebidas (estou preparando uma matéria com informações  sobre esse assunto). Outro ponto em questão é o tal do asfalto. O casal de prefeitos está se beneficiando do asfalto doado pelo governo do estado. 

FALTA ÁGUA NO JARDIM BRASÍLIA E EM VÁRIOS BAIRROS DA CIDADE 

      No último período eleitoral, eu, pessoalmente, fiz um abaixo assinado no bairro do Jardim Brasilia, bairro aonde cresci e tenho minha história de vida. Com esse abaixo assinado em mãos, confiante, entreguei ao casal de prefeitos, no dia do comício, em cima do palanque. Em resposta, a prefeita prometeu resolver o problema da falta de água no bairro. Palavra que virou Promessa de campanha. Estamos ao fim do ano e o que vejo são pessoas passando necessidade por falta da tão prometida e necessária água.

        É uma vergonha para o casal de prefeitos, que ainda tem um sobrinho deputado federal, Juscelino filho, bem como todo o seu grupo politico é aliado do governo estadual e do presidente Temer. Mesmo com tanta influência não tem a capacidade de resolver um problema tão simples, pois bastaria um poço artesiano para sanar esse problema. Duvido se na fazenda deles falta água para a imensa quantidade de bois. É isso mesmo! Eles não deixam faltar água para seus bois, mas deixam faltar para nossa população.

      Um ponto a ser lembrado é que, há mais de 15 anos, o prefeito Cabral, sem apoio do governo do estado, sem apoio do presidente da república, sem nenhum deputado estadual ou federal aliado, ele, unicamente gestor municipal (o melhor e verdadeiro prefeito que Santa Inês já teve ), construiu um sistema de abastecimento de água municipal com fornecimento gratuito para a população. Mas hoje, na contramão dessa postura, o casal Bringel, com um sobrinho deputado federal, mais aliados do governador Flávio Dino e do presidente Temer, todos juntos, não conseguem levar água satisfatoriamente para a população de Santa Inês.

        Nesse momento deixo meu repúdio e me uno à população do Jardim Brasilia para fazer ecoar o pedido “Fora, casal Bringel!”. Eles não são dignos da confiança que depositamos, representam o lado podre de pessoas que usam a politica para mentir, trair e não honram com a palavra dada. No próximo ano tem eleição,  eles estarão de casa em casa pedindo votos ao sobrinho e ainda alegando que trabalham pela cidade. Deixo duas perguntas: o que eles estão fazendo na cidade, além de asfaltar? E esse asfalto é do município ou do governo do estado?

Quem tem medo cala, quem cala consente.